Monday, June 29, 2015

Dear Mike, Cullen, Steve and Kyle

An Open Letter to Mike, Cullen, Steve and Kyle.

Facing the events of last Friday and the storm of opinions erupting on facebook I felt compelled to write something too. But I will do it differently. I will do it writing a personal – but – open letter to four gay friends/colleagues I have met and interacted with in my life so far.

The first one of them is Mike. Hi, Mike! How is it going? I haven’t heard much from you for quite some time now! I understand it. You know my points of view about sexual morality and you probably dislike me nowadays. Well, I don’t dislike you. I hope you know this!

We met in school. Although you never came up publicly in those days, people would talk about it. I can only imagine how hard that must have felt. To know that people all around you would gossip about your sexuality and that you would even face some bullying and discrimination.

Did you know that I tried to protect you one time that two girls were trying to pull a nasty joke on you? I overheard them, stood up and gave them my best stinky eye (you know the one! The one that is able to set fire to a green tree) and kept observing them. Looking back, I should have been even more direct.

But did you know that because of that episode I never friendly-talked to those two girls anymore in my life? That they are probably in the 10% of the people I met in school that I don’t count as facebook friends?

Did you know that I never ever gossiped or even talked about your sexuality with anyone? Did you know that I cared for you as a true friend? One that would make me genuinely laugh. I loved to spend time with you! You are one of the brightest people I personally know. I admired you for that!

Do you remember one day at school that we were supposed to choose a friend and tell the rest of the class why you chose that person? I chose you! I did it because I really cared about you. Gay or not, you were a good friend to me. I was supposed – by your request - to construct/design you future house, remember?

After school we lost touch. On facebook we met again. Since then we have exchanged two private message sessions about nothing, the two of them quite spaced in time. I think I started both of these conversations. Not long ago I would still “comment” and “like” on some of your statuses. Then I stopped. I came to the conclusion that you really didn’t want me there, “giving you any kind of hidden messages” or reminding you of “anything”. So thinking of you, of your well-being, of your probable feelings about me, I stopped checking on your updates.

Well, I love you Mike. I hope you know that! If anyone would strike a bullet on you because of your lifestyle, I would freely and willingly jump in front of you so you wouldn’t get hurt. And you better believe that because I mean every word. I hope you still know me enough to realize that I don’t tell lies. Bye Mike.

Dear Cullen, we met in college. You were tall, handsome, very intelligent, good boy and overall one of the most pleasant people to be around with in the whole wide world. On my first semester in college I remember saying playfully to two of my girlfriends that I would marry you someday.

Well, our paths continued to cross on a regular basis and you eventually asked me out. We went out to lunch one day and the other time we went to the mall to talk. Sorry about that night, I think my perfume gave you allergies. Don’t worry, I noticed it and that was the last time I used a Boticario perfume so I wouldn’t asphyxiated any other prospects - or friends, in general. (No jokes intended about the whole Boticario ad. Their perfumes just suck. But I love their lipsticks).

I know I didn’t give you much of a real chance with me. I realized that I actually wasn’t in love with you to give it a try. And since I cared so much about you, I didn’t want to ruin that. I wanted for us to remain friends. Which we eventually did after a time of not talking to each other, naturally.

I actually remember that you made out - twice - with my best friend in that meantime. Yes, the same girl who heard me speaking of you being my future husband and all. Okay, I didn’t blame her for a long period of time. It was wrong of me to actually say that. In the end, I was actually cheering for the two of you to end up together.

One observation, I probably never told you this, but before I met Dan, I've never stayed with a guy for more than a month. I've always had a pretty good idea of my real feelings in the first week of going out with a guy. That was me! I just knew when it wouldn’t work out and the effect of me actually pushing on myself the opposite idea would just make me shut down even more. And that is why I should probably be one of the girls you know that less got into relationships.

My parents liked you a lot, we also had some friends in common outside college and I invited you to my actual wedding. The one I was marrying Dan, my soul mate, and not you. We were cool about it. I tried to introduce you to my beautiful, smart and single friend – Jane – as I thought you were too great to pass to the crowd - and because she asked me to.

I didn’t know that you've already decided to be gay, by then. I only found out you had a long term boyfriend four years after college. After a few months of digesting the information, I decided to write you a private message about the whole me trying to push you a girl. That I didn’t know you were gay. (How could I?) That I have always considered you as a friend. And that being gay didn’t change that. 

But I felt that my conscience pushed me to add what you already knew about my personal opinion on sexual morality and that has not changed for me either. That I hoped you could understand that these two things are different for me. I hoped you would understand that I don’t let my beliefs interfere with my idea of someone. And in this case, I still have a very high esteem of you, Cullen.

You are still the same Cullen, tall, handsome, smart and easy to make laugh. You are probably the person who holds the most prestigious job of all my friends and that is all because of you own qualities and attributes. I don’t follow you on Instagram because we are just into different things now. I still have you on facebook and I hope you don’t ever shut me out of your online circles of friends. I wouldn’t want that. Bye Cullen.

Dear Steve! I don’t like you. And that has nothing to do with the fact that we don’t agree on this subject. We actually don’t agree on anything. Not politically, not socially, not religiously, not anything-ly. And you quite annoyed me a couple years ago when you would comment/like on every post of mine. Gay or not, man or woman, I hate that! That is the single thing that I hate the most in the entire world. So sorry about adding you the “restrict friends” category on my facebook, but hopefully you will understand that we can’t be friends. Bye Steve.

And finally, dear Kyle. Sorry if I added you wrongly to this letter. I am not really sure if you are gay or not! And – actually - that doesn’t matter! We have met for a few months at the university and then we lost touch. Before that, I actually helped you around with some things.

Sometime into college, I met you at some party and you were more than happy to introduce me to some of your friends after I asked you to, hoping it would be the “dark haired - blue eyed – future doctor” I used to flirt with on Monday afternoons at the central library. Well, the friend you introduced me wasn’t actually him, so I fled!

We continue to be friends on facebook and I admire you for what I have seen! I see you going to less civilized places to be a doctor, I see your smiling face, and I see you enjoying your family. I wish you all the best, always! Bye Kyle.


Finally,

I wish everybody could understand that the real deal about legalizing homosexual marriage is not about love. I am all for love, believe me. (I also believe that sexual acts and love are not the same things.) But unfortunately, what is really on the table is: abolishing religious freedom and all that it entitles. I won’t linger on this topic. I could say a thousand words but I will let it be. I don’t want to cause any animosity. But I will be coherent. I will not bend the essential truth to look good to my online friends. I am lucky enough to say that my actions speak by themselves and that being publicly criticized/questioned on social media doesn’t bother me. I wish everybody could say that about themselves. We would have fairer and more honest conversations.

Tuesday, June 2, 2015

O Melhor de Austin - O que fazer em menos de 48h

Dois meses sem postar mas vontade não faltou de ter escrito mais vezes nesse meu diário, quer dizer, blog! Desde a última postagem tivemos alguns eventos excepcionais que foram muito legais!

Entre eles, a nossa viagem inteiramente recreativa a Austin, TX. Há dois anos e meio atrás nós morávamos em Temple, TX, uma cidade que fica uma hora de carro de Austin! E de fato Austin foi a cidade para a qual mais nos dirigimos durante os quatro anos em que moramos em Temple.

Mas o que acontecia é que acabávamos fazendo sempre as mesmas coisas em todas as nossas visitas: passear no Capitol (sede do governo do Texas, um prédio muito bonito, com um pequeno museu e um bela área verde), dar uma passadinha rápida no Zilker Park (rápida, porque sempre algo nos impedia de ficar lá por muito tempo, ou era estacionamento lotado, ou não sabíamos nos localizar tão bem e nos entediávamos rapidamente com as mesmas coisas, ou medo da Rebecca cair na água, etc) e sempre terminávamos nossa visita indo no supermercado asiático (que cheirava mal horrores, mas que depois de 5 minutos seu nariz milagrosamente se acostumava com o cheiro). E voltávamos para casa com as compras na geladeirinha de isopor com gelo que sempre levávamos no carro.

Capitol - há 5 anos atrás em restauração


ainda nos arredores do Capitol, com Downtown em frente


Mas Austin tem seu charme. Algo que para nós só ficou realmente evidente em nossa memória remota quando nos mudamos para Houston e a saudades bateu. E além de Austin ser muito charmosa eu percebi que nunca tínhamos visitado (ou o feito muito pouco) alguns de seus pontos mais legais e turísticos. Agora moramos há quase quatro horas de carro de Austin e a vontade de passear por lá de novo só aumentava!

As crianças estão numa idade ótima pra viajar e vimos então que era hora de finalmente fazer a viagem e reservar um hotel em Austin. Iríamos aproveitar a cidade como se fosse nossa primeira e última visita! Fizemos a reserva com mais de três semanas de antecedência! E ficamos ansiosamente esperando pelo grande dia! Aos poucos fui fazendo um roteiro do que queríamos ver e fazer e tudo parecia perfeito - no papel! Na realidade, conforme a data ia se aproximando, percebíamos que a previsão do tempo era de chuva. Muita chuva!

De fato, chuviscou o Sábado todo, mas foi algo muito leve que apenas nos obrigou a mudar um pouco nosso roteiro e algumas trocas de atividades! Acabamos por fazer uma viagem incrível! Alguns fatores contribuiram para que gostássemos tanto da viagem. O primeiro deles, como já mencionei, foi que nossas crianças se comportaram muito bem. O segundo fator foi planejarmos uma viagem com tanta coisa pra fazer e visitar que não ficávamos muito tempo em um mesmo lugar e não dava tempo de nos entendiarmos (incluímos duas outras cidades no nosso roteiro: Fredericksburg e San Antonio na volta). O terceiro fator foi realmente pesquisar e escolher os melhores pontos turísticos (Dica: pensar como se fosse a sua primeira e única viagem a certo lugar! Você acaba tendo outra perspectiva), E finalmente, o quarto fator, foi conseguir mesclar uma viagem com crianças com uma viagem gastronômica para os adultos!

Nossa viagem consistiu no seguinte roteiro (e o recomento muitíssimo):

1. Entre Houston e Austin, desviando apenas algumas milhas ao norte, você encontra a cidade De Lexignton, TX, casa do melhor BBQ do Estado e arrisco dizer dos EUA inteiro. Chama-se "Snow's BBQ". Aberto ao público apenas aos Sábados de manhã. Funcionam até acabar a comida por volta do meio dia! Realmente muito gostoso! Prova disso é que você esquece totalmente de molhar as carnes no molho barbecue. Nos EUA praticamente todos os lugares de BBQ tradicional são pequenas casinhas de madeira com mesas comunitárias no pátio. Pão de forma a vontade acompanha, assim como condimentos, molho bbq, pickles e no caso do Snow's. o feijão delicioso (lembra o brasileiro) também é a vontade. Recomendo todo o menu, em especial, as ribs, brisket e a sausage! Outro fator que eleva o apreço a comida é a medida certa de pimenta e outros temperos que para o paladar brasileiro costumam ser muito forte. (Link)





2. Thinkery: Museu da criança! Em uma região cult de Austin com um belo parque público na frente e playground cercado (estilo Central Park). Por causa das chuvas escolhemos passar parte da nossa tarde com as crianças em algum tipo de entreterimento que durasse por certas horas e fosse coberto. Uma pessoa no meu facebook sugeriu o museu das crianças e acabamos por ir até lá! Ótima pedida. O Nico simplesmente adorou e aproveitou muito, a Rebecca aproveitou menos mas deve ser por ficar dengosa e tímida quando está com o papai. Ponto contra: muito lotado. Dica: levar troca de roupa e aproveitar o museu sem pressa! Na saída do museu a chuvinha tinha dado uma folga e as crianças ainda brincaram no playground da frente e andaram pelo parque em volta do laguinho! (link)






viu o que eu disse sobre trazer uma troca de roupas?









3. Comer e comer: Perto do The Thinkery achamos um restaurante da famosa rede de tacos original de Austin chamada "Torchy's Tacos". Recomendo o Beef fajita Taco e o The Democrat. Não são muito apimentados e para aqueles que gostam de pimenta tem molhinhos a parte e muitas outras opcões no cardápio! (link) Infelizmente não tirei foto da comida!




4. Comer e comer (2) com uma vista: Mozart's Coffee. Lugar incrível com mesinhas dentro e fora em um grande pátio de dois andares aonde você encontra várias pessoas usando seus laptops, ou estudando ou então relaxando sem pressa com seus cachorros por perto. O pátio é de madeira no estilo docas! E de fato fica ao lado de uma docas com barquinhos estacionados nas margens do lago. Sobremesas incríveis, café de refil! Falei pouco, mas é simplesmente o lugar que eu mais recomendo dessa minha listinha! (link)






amazing!



5. Comer e comer (3) com uma vista (2): a viagem de carro até chegar ao The Oasis - Lake Travis já é muito linda. Chegando lá você cai pra trás com a infra-estrutura e a vista do local! O restaurante é íncrivel e de vários andares. Os mais altos ficam reservados para eventos como festas e casamentos. O térreo e os andares de baixo é aberto ao público. Quer dizer, você não precisa nem comer no restaurante para apreciar a vista ou simplesmente passear pelo restaurante que fica lotado de visitas! As crianças ainda recebem uma pelúcia pequenininha de graça. O pátio de entrada do local é maravilhoso e tem várias lojinhas em volta numa espécie de galeria. Aliás, o mirante fica do lado de fora do restaurante! Um lugar bem tranquilo, aonde você pode andar e fuçar a vontade sem ninguém vir te importunar! O tempo permitindo, você pode presenciar um belo pôr-do-sol. Não foi o nosso caso, infelizmente, mas ainda assim aproveitamos muito o local! (link)



minha princesa mimosa!


chegando

olhas as pelúcias que falei!










6. Agora vou indicar outros pontos turísticos que infelizmente não pude visitar até hoje. Foram os lugares que saíram da nossa listinha por causa da chuva! Austin e região possue muitos rios e lagos! Inclusive quando erámos ainda só eu e o Dani no nosso primeiro ano de casados, um dia fomos para Austin apenas para andar de caiaque no rio Colorado, uma das muitas entradas pelo Zilker park! Mas Austin tem muitas outras jóias raras em relação a natureza como o Jacob's Well e a Hamilton Pool. O primeiro inteiramente de graça e com nado liberado, o segundo paga-se uma pequena taxa de estacionamento. Enfim, o resumo da ópera é que Austin e região tem muuuuitos lugares de piscinas naturais abertos ao público. (Para uma lista bem completa entrem no link) As três primeiras fotos são copiadas desse link e são apenas uma parte da extensiva lista! As fotos seguintes são de uma das nossas primeiras viagens a Austin no comecinho de casados!

Hamilton Pool Preserve - não sei se o nado é autorizado

Jacob's Well

Sculpture Falls
Há 6 anos atrás - passeando por um dos muitos caminhos! Aqui estamos passando por cima do rio Colorado!

Andando de caiaque no rio Colorado!

Rio Colorado - essa foto não mostra, mas tinha muita gente andando de caiaque


7. No domingo de manhã fomos a missa cedinho na St Mary's Cathedral. Igreja pequena situada em plena Downtown e arquitetura em estilo tradicional com cantos e liturgia lindos! E para nossa surpresa, a missa foi celebrada pelo Bispo! E para nossa maior surpresa, as crianças se comportaram e não tivémos que sair nem por um minuto para as acalmar! Foi algo muito especial que selou nossa viagem como se fosse uma benção! Me arrependi, mas não tirei nenhuma foto!

Nossa segunda parte da viagem constou em visitar Fredericksburg e San Antonio e estarmos de volta em Houston tarde da noite! Mas esse post já ficou muito grande então vou dividir em dois posts!

___________________

Comentários finais sobre Austin - para outros tipos de público (aka, solteiros ou sem crianças):

1. Chegando em Austin você já começa a ver os muitos valinhos e percebe porque a cidade é tão charmosa e com uma arquitetura única e "quirky" (tradução livre: esquisitinho mas legal!). Aliás o lema de Austin é "Keep Austin Weird" e de fato é uma cidade com muita gente diferente, os típicos hippies modernos e adinheirados! Visitar o Whole Foods e passear de carro pelos diferentes bairros te dará uma boa idéia do que estou falando!

Austin também é considerada uma cidade muito jovem e culturalmente diversificada (devido principalmente ao maior campus da University of Texas) e muito saudável aonde as pessoas ativamente se entretêm com vários esportes ao ar livre como bikes, corrida, caiaque, etc. Aliás Austin tem muitos parques, rios e lagos.

Finalmente, Austin é a capital da Live Music e seu maior e mais famoso festival é ACL "Austin City Limits" que tem seus ingressos esgotados rapidamente e conta com a presença de várias bandas famosas distribuídas em seus 3 dias de duração! E também é ao livre em uma área bem grande com várias tendas. (link)

Ainda para o público jovem existe a 6th street cheia de barzinhos. De noite uns três ou quatro quarteirões ficam fechados a entrada de carros e as pessoas ficam passando de bar e bar e socializando na rua. Eu nunca fui, mas dizem que é um pouco doido demais. Do tipo: "uma visita basta". (link)


Saturday, March 28, 2015

Wonderful Days

It's spring and it's beautiful in Texas! It gets a little chilly at night but it gets warm during the day! It breezes! And you sneeze! It's true, every good thing has a downside and in Texas this means allergies! It's my first year really feeling it! Dan already developed pollen allergy a few years back! But we've been managing it... Fortunately, we can still enjoy the wonderful weather!

We woke up and had breakfast. On Saturdays we'll usually go to the gym together, but today we decided to go straight to the library (we usually go to the library after gym or in the afternoon every other weekend). Every Saturday morning the library organizes "story telling" followed by some arts and crafts! All ages are welcome! It was great! The kids listened to two books about Easter and one about April's Fool Day and they made a nice Easter basket in the shape of a carrot! And the best part, the kids got some chocolate Easter eggs and some jellybeans! We also got a lot of new books for everyone!

We got home close to noon but lunch was already almost ready! Daddy finished it up while mommy did some loads of laundry and some cleaning! After lunch we put the kids down for a nap. Daddy was a little tired because of allergies (he chose not to take any medicine in the morning) and also needed a nap which he took in the couch! I wanted to finish the movie I started watching yesterday evening: Gone With The Wind! Wow! I had never watched the whole movie before. One time, a few years ago, I managed to watch the first 50 min of it (the movie is 3h48min long - with a 15 min break) and I remember watching the end of it (or so I thought) when I was very young at my grandmother's -  Nelsa - house! 

I just loved watching the whole movie! I can't say I loved the movie itself! Actually - because of the last scene I thought I remembered from my youth -  I was not so tense while watching the movie and kept thinking things would be very fine at the end! Oh boy. No spoilers (on a 1939 movie) but the story is so dense!!!! I really think it will be stuck in my mind for quite a while! I just can't come to a conclusion of why I enjoyed watching it so much...... I guess everything felt so real! I took a lot of it as food for thought! It is certainly not a fairy tale, but I would put it on the "must see movies" list, for sure!

Rebecca woke up from her nap a little before Nico did! As mom and dad had promised her we would do some baking in the afternoon she was all smiles and ready with her little apron on! Mommy and Rebecca made a wonderful "Yogourt Gateau" (yogurt cake). While the cake was baking, daddy started cutting the grass and the kids and I stayed outside enjoying the weather and watching daddy! When he was done with the yard, I started making Pao de Queijo (brazilian cheese bread) while he took both kids to the nearest grocery store to fetch some more things for dinner!

We decided to have a traditional brazilian "lanche" for dinner at 7pm. We had yummy cheeses, crispy bread, still warm yogurt cake, salami, pao de queijo, juice and tea! It was so good and the sun was still shining when we finished it! I just don't know why we've never thought of "lanche" for dinner in these last six years living in the US. We will certainly have "lanche" more frequently from now on!

At the end of the day I said to Dan: "what a happy life, isn't it, love?" to which he sincerely replied: "very happy!". 

I love my family!!
____

And I had a very strong urge to write this post! So we can remember all these things when we are older!





Thursday, March 12, 2015

A História de Nós Dois - Parte 8



Ps. Post feito em duas etapas com um mês de diferença entre elas. Correções em vermelho!

__________________


Esse é o post em comemoração ao nosso sexto aniversário de casamento com um mês (agora 2 meses) de atraso mas bem a tempo do Valentine's Day (agora já passamos longe)! E ainda aproveito para incluir o aniversário do Dani que foi dia 02/fev. Como gosto de fazer nessas ocasiões, adiciono esse post na série "A História de Nós Dois". Aqui vai a oitava parte!


Em relação às comemorações do dia 18/Jan (nosso aniversário de casamento) ainda tinhámos o meu querido irmão Rafael aqui conosco - seriam seus últimos dias nos EUA - portanto tio Rafa ficou de babá na sexta dia 16/01. Como sabíamos que seria a última vez que teríamos essa oportunidade de sair para comemorar tendo alguém pra cuidar das crianças de graça e sem hora pra voltar, aproveitamos para fazer reservas em um top restaurante Francês de Houston, Etoile Cuisine at Bar.


Pesquisamos bastante e não estaríamos nos importando com o valor da conta, pra variar um pouquinho! A meu requisito, escolhi esse restaurante porque pesquisei bastante e soube que eles serviam tudo o que eu gostaria de experimentar pelo menos uma vez na vida: trufa (ou óleo de trufa), escargot e foie gras.


Antes de irmos ao restaurante, eu e o Dani tinhámos confirmado presença em uma palestra na Western Academy sobre educação de filhos cujo palestrante é diretor de uma renomada escola em New York. Iríamos direto da palestra para o restaurante! Nos arrumamos com o nosso melhor visual! O Dani estava tão bonitinho com terno e a camisa listrada que eu adoro e fica tão bem nele! Eu usava meu vestido favorito: azul marinho de bolinhas cor mostarda que cai diretinho em mim!


A palestra foi boa pelo o que conseguimos ouvir. Infelizmente por conta de algumas contrariedades acabamos chegando bem atrasados e como o local era pequeno, já tinha lotado! Ficamos para fora congelando um pouquinho e tentando ouvir o palestrante de fora da sala! Pra quem não conhecia a Western Academy como nós, adoramos o lugar!! É uma escola só para meninos até o ensino médio! O local lembra bem um lugar de camping na floresta como nos filmes, mas muito mais bem cuidado e charmoso! Achei o conceito muito interessante! Do lado de fora tinham duas mesas grandes muito bem decoradas e com todos os tipos de aperitivos e bebidas que se encaixam no conceito de "queijo e vinho". Mas como iríamos jantar depois da palestra, comemos bem pouquinho! Fiquei com dó! E como tinhámos reservas com hora marcada tivémos que sair antes da palestra acabar. Mas já estava na parte das perguntas!


Chegamos no restaurante. Em uma região de Houston que nunca tinhámos passado antes! Tudo muito adorável! Ao entrar eu mal podia conter o meu sorriso! Era óbvio que seria a nossa primeira visita!!! Ao sentar me viro para olhar o Dani e me surpreendo de perceber que ele estava super animado por estarmos jantando lá! Só isso já valeu a noite! É tão difícil encontrar algo capaz de deixá-lo nesse estado de empolgação (que não seja jogar futebol). Ele disse que era como se estivéssemos jantando em um restaurante na Disney novamente (nossa lua de mel foi na Disney, e ainda morremos de saudades de tudo, mas especialmente da comida)! Ah, é verdade, Disney também é capaz de o deixar bem empolgado! Quem diria, o fut tem um competidor a altura!! :)


Mas a nossa história de amor com o restaurante francês estava prestes a terminar!


Copiarei minha "resenha" publicada no facebook sobre nossa expêrencia!


"Atestado de pobreza, ou melhor, não nasci pra riqueza!

Ontem, eu e o Dani saímos pra comemorar nosso sexto aniversário de casamento em um restaurante francês! Fizemos reservas e depois de pesquisar bastante na internet já sabíamos oq iríamos pedir: beef tartare (carne crua), foie gras, escargot e scallops (não achei uma boa tradução. Mas é oq se vem dentro de concha) com óleo de trufa. Sempre quis experimentar foie gras pq sei q minha mãe adora, e como esse restaurante tinha tudo isso por preços bem justos, porque não experimentar tudo de uma vez? Conclusão da noite: só gostei do beef tartare. Foie gras e scallop tive tremendo embargo com a textura e no caso do escargot de saber q são caramujos mesmo. Já tinha comido scallop antes e tinha gostado, mas esse estava muito no ponto certo (mal passado) e pra mim isso era de uma textura horrível!"



ps. por textura eu queria dizer, consistência!


Ai ai! Enfim! Foi ótimo como experiência de vida e também para virar uma boa história pra contar! Como disse nos comentários desse meu post no facebook, eu só me arrependo de não ter experimentado o Foie Gras como patê e não quente selado na chapa.


E essa foi a nossa comemoração oficial, dois dias antes do nosso aniversário! No domingo dia 18/01, fomos na missa como o habitual, bem arrumadinhos (a família toda), recebemos uma benção do padre no final da missa e depois pedimos para um amigo tirar uma foto de nós quatro! Se não me falha a memória, cozinhamos um belo strogonoff de almoço e infelizmente não lembro o que tivémos de janta!


Agora um pouco de #tbt (Siginificado de tbt: quando comentamos de algum fato do nosso passado. A sigla em inglês refere-se a Throw Back Thursday, pois é costume usar essa hashtag e postar algo que já passou às quintas-feiras.)


Quero contar um pouco dos primeiros dias do nosso namoro!


Vou retomar um pouco nossa linha do tempo!


- Nos conhecemos em sjc dia 06/agosto. Gabi se apaixona!

- Nos dias seguintes Gabi adiciona o Dani no MSN. Alguns dias mais e os dois estão online simultaneamente e conversam pela primeira vez! Gabi já tinha se desapaixonado naturalmente!

- Aguns dias mais, Dani se interessa por Gabi.

- Setembro chega e eles trocam mais mensagens no MSN. Dani começa a convidar Gabi para festas da Unicamp, Gabi começa a fugir dos convites!

- Finalmente dia 21/set, quinta-feira, ambos concordam informalmente em se encontrar na festa IELlow Submarine (única festa autorizada pela Unicamp em séculos, com banda cover dos Beatles!). Eles se beijam pela primeira vez! S2

- Segunda-feira dia 25/set, Dani chama Gabi para tomar sorvete. Eles conversam e decidem começar a namorar! Contudo, o aniversário de namoro sempre foi comemorado no dia 21 de Setembro!


E é na quarta-feira, dia 27/09 que começa "A História de Nós Dois - parte 8" e o especial de aniversário do Dani junto uma vez que planejo contar apenas coisas boas dele!! Então vamos lá!


O Dani passaria na minha casa para me buscar pra sair pela primeira vez. Estariamos indo em algum bar da rua Emilio Ribas em Campinas junto com alguns amigos dele da escola de idiomas que ele era professor de inglês.


Aliás, ganhou pontinhos aqui! O menino era super esforçado e trabalhador! Ele se bancava totalmente morando em Campinas em um apto com mais dois amigos e mantendo um carro com a bolsa do mestrado e dando aulas de inglês. No ano seguinte ele estaria dando aula em DUAS escolas de idiomas (além do mestrado). Isto é, trabalhava de dia e noite entre mestrado e aulas de inglês, de segunda a sexta e aos Sábados ele dava aula de inglês das 8h-13h ainda trabalhava no mestrado de tarde! Além disso, achava tempo pra me ver todo dia na universidade (almoçávamos juntos praticamente todo dia!) e ainda saíamos de noite pelo menos 4 vezes por semana!


Mas então ele ia passar em casa pra me buscar! (Aliás, eu nunca tive carro, então além de tudo ele me buscava e trazia pra casa toda vez! E era um bom desvio de caminho!) Foi algo meio de última hora! O amigo dele tinha acabado de o convidar para ir junto nesse barzinho e ele quis me chamar para o acompanhar mesmo que nós estivéssemos namorando a menos de um semana (lembre-se, primeiro beijo tinha sido apenas há 5 dias atrás!). Eu estava me arrumando quando por sorte do destino meu pai e irmão Rafael chegam em casa na mesma hora que o Dani estacionava na frente de casa!


Como homem esperto e de honra que é, sai para cumprimentar meu pai sem a menor hesitação e lhe dá um firme aperto de mão. Imagina se não ganhou meu pai naquela hora! Papis entra em casa já comentando alto a mim e a minha mãe que estava por perto: "Tem cara boa o japa!". Meu irmão não foi tão cedo convencido mas disse: "Fortinho, ele" com um tom de voz de quem ainda não se decidiu se isso é bom ou ruim! :)


Enfim! Saímos para o bar. Na volta, minha mãe queria saber que horas voltaríamos e se o meu namorado de 5 dias poderia dar carona de volta pra casa pra minha irmã Ju que estava tendo aula de noite no instituto da Computação. Mãe, essa foi só porque te amo muito, viu? Morri de vergonha, mas fiz o pedido ao Dani mesmo assim! O que sem nenhuma objeção aceitou de bom grado fazer aquele favor. Chegamos um tempinho antes da aula da Ju terminar. Ele estacionou o carro na entrada do IC e desligou o motor. Virou pra mim e falou: "Eu quero te contar tudo sobre mim".


Ok! Olhando pra trás eu percebo que isso é o que um homem de verdade deveria fazer mesmo com sua nova namorada! Mas na hora eu gelei! Não vou mentir! Não foi uma conversa das mais tranquilas! Ele me contou do passado dele, da família, de tudo! Ou quase tudo, ok, vamos ser razoáveis.


Obviamente não pretendo contar a ninguém os detalhes da nossa conversa que são muito pessoais! Mas meu objetivo em compartilhar essa história é reconhecer como a sinceridade e a boa intenção do Dani foram pontos muito importantes para que eu me sentisse segura com ele! Para aceitar que o passado das pessoas pode não ser perfeito mas que em alguns casos pode haver verdadeira mudança no comportamento e visão de vida! Assim como amadurecimento! Com isso não estou aconselhando ninguém a sair buscando almas perdidas em tanta confusão e achar que elas vão mudar! Não é isso! O Dani mudou de vida por conta própria há muitos anos atrás, muito antes de me conhecer! Não foi por causa de nenhuma namorada, mas sim foi uma resolução própria e sincera, fruto da consideração que ele tinha por sua família! Ele tomou todas as medidas concretas para que tal resolução não fosse uma mera boa intenção passageira! Infelizmente alguns de seus antigos colegas e amigos não tiveram tanta sorte.


Muitas vezes (mas agora cada vez menos frequentemente), eu olhava nos olhos do Dani, no ótimo pai e homem que ele se tornou e não conseguia nem imaginar que Dani adolescente e Dani adulto pudessem ser a mesma pessoa! Mas sempre fui muito grata a sinceridade que ele me mostrou logo na primeira semana de namoro! E Deus é bom! E nossas atitudes e caráter importam radicalmente nesse processo como um todo!


Eu agradeço a Deus por ter encontrado o Dani! Por Ele ter querido que ficássemos juntos e começássemos uma família! Ele me atura, me perdoa e como já disse mil vezes, é um ótimo pai e marido! Claro que tem suas pecuinhas (eu tenho pecuinhazonas). Ningém é perfeito! Mas o esforço e a boa intenção de cada um de nós é o que faz tudo valer a pena!


Te amo Dani! Para sempre! E rezo sempre por você, para que continue recebendo as graças de Deus para vencermos junto a corrida e combater o bom combate!